Arquivo mensal: abril 2009

Quem não sabe o que procura, acha o que não quer

A pessoa vai no google e tasca: “Amizade muito lôca + Pornografia”…

E cai aqui!

hahahahahah. Perdeu, prêibói!

Anúncios

silêncio, frio e delicadeza

cama de inverno
cama de inverno

Noite de sexta. Semana que termina dividida entre tensão, incerteza e cansaço.

Friozinho…só o suficiente pra dormir de meias e camisola longa.
Noite de silêncio e delicadezas.
Calma, casa vazia, pizza no forno, séries americanas, Virgínia Woolf, Beethoven e chuva.

E eu ganhei da Iara um fragmento da “Ode à Alegria”, o último movimento da Nona Sinfonia. É uma poesia de Schiller (musicada por Beethoven) … Não foi à toa que foi escolhida como Hino da Comunidade Européia:

Ó, amigos, mudemos de tom!
Entoemos algo mais prazeroso
E mais alegre!

Alegria, formosa centelha divina,
Filha do Elíseo,
Ébrios de fogo entramos
Em teu santuário celeste!
Tua magia volta a unir
O que o costume rigorosamente dividiu.

Todos os homens se irmanam
Ali onde teu doce vôo se detém.
Quem já conseguiu o maior tesouro
De ser o amigo de um amigo,
Quem já conquistou uma mulher amável
Rejubile-se conosco!

Sim, mesmo se alguém conquistar apenas uma alma,
Uma única em todo o mundo.
Mas aquele que falhou nisso
Que fique chorando sozinho!

Alegria bebem todos os seres
No seio da Natureza:
Todos os bons, todos os maus,
Seguem seu rastro de rosas.

Ela nos deu beijos e vinho e
Um amigo leal até a morte;
Deu força para a vida aos mais humildes
E ao querubim que se ergue diante de Deus!

Alegremente, como seus sóis corram
Através do esplêndido espaço celeste
Se expressem, irmãos, em seus caminhos,
Alegremente como o herói diante da vitória.

Abracem-se milhões!
Enviem este beijo para todo o mundo!
Irmãos, além do céu estrelado
Mora um Pai Amado.
Milhões se deprimem diante Dele?
Mundo, você percebe seu Criador?
Procure-o mais acima do Céu estrelado!
Sobre as estrelas onde Ele mora!


Te desejo uma boa canequinha de chá, feito a minha!

My sweetest Inbox

O QUERER
Clóvis Campêlo
Recife, 1991

Não te quero redundante,
cuspindo o óbvio e olhando
apenas o que os olhos vêem.
Quero-te inquisidora,
virando-se pelo avesso,
saindo da boca pra fora,
buscando a resposta
não importa qual seja
o preço.

Não te quero rotineira,
trilhando a mesmice que já
nos servem pronta e empacotada.
Quero-te a afrontar o perigo,
desbravadora dos sete mares,
correndo risco de vida
pois navegar é preciso.

Não te quero a lamentar
o tempo desperdiçado,
com os olhos cheios de nada.
Quero-te alvissareira
a desenhar no presente
o branco linho do futuro
qual ágil bordadeira.

***

“O desconforto é outro: parece que não sinto nada. Meu corpo inóspito, sem habitação. Tenho minha alma larga, mas ainda sobra este espaço prum amor eterno que ele ocupava e que não existe mais. “

***

“Sempre que se começa a ter amor a alguém, no ramerrão, o amor pega e cresce é porque, de certo jeito, a gente quer que isso seja, e vai, na idéia, querendo e ajudando, mas quando é destino dado, maior que o miúdo, a gente ama inteiriço fatal, carecendo de querer, e é um só facear com as surpresas. Amor desse, cresce primeiro; brota é depois.”

( Guimarães Rosa)

***

“Não pode haver duas opiniões sobre o que é um intelectual. É o homem ou mulher de inteligência puro-sangue que domina sua mente num galope pelo campo ao perseguir uma idéia.”

&

“O tédio é o reino legítimo da filantropia.”

(Virginia Woolf)

***

Num é lindo receber emails assim?

Obrigadíssima e Ótimo final de semana, quéridos todos!

(não, não vou falar de STF e adjascências)

Coisas da semana

Bela no trabalho
Bela no trabalho

A Hillary rifou o Bill.

Sensacional!

Nada como uma mulher moderna dando troco…mônica is the name of the game! hahahahahaha a-d-o-r-o!

***

Essa semana foi de decisões difíceis. Todas.

Entre elas a de sair de um lugar que eu sempre quis ficar.

***

Quando eu achei que tava por dentro das novidades, me aparece ISSO.

Uma idéiazinha blefe, convenhamos. Os meninos querendo se dar bem na solidão alheia… e ainda me fazem um post dizendo o seguinte:

Fica bem claro que o serviço do Amigos de Aluguel não tem nada a ver com Pornografia ou Prostituição. Não existem mulheres em nossa equipe!”

Hein? Quer dizer o quê isso? Que Pornografia e Prostituição são questões de gênero?

Olha, eu já não tenho paciência, sacumé?
Com esses ai eu num tomo nem mei copin d’água.

Watch your words, né? No mínimo, né?

***

Tenho aqui comigo o livro de receita da minha avó Lucymar. De 1959. Capinha de tecido, feita pelas mãozinhas da Tia Cris, quando estava na 3ª série do fundamental. Tem moranguinhos de feltro, com pontinhos feitos de canetinha…

Entre um bando de coisas deliciosas, lá tem uma explicação detalhada de como fazer um chá das cinco. Lindo. Com todas as razões possíveis de se fazer um evento social como este: amigos que chegam, pra retribuir um almoço, pra comemorar o aniversário de uma filha com mais de 15 anos… Lindo. Todas as receitas, de biscoitinhos a pudins, passando por pães e tortas incriveis. Geléias delicadíssimas.

E ainda como servir desde um chá informal a um chá de gala!

Nesta época, meus avós, minha mãe e minhas tias moravam no Rio de Janeiro. No ano seguinte estariam desembarcando aqui, em Brasília, onde (sem saber) seriam vizinhos dos meus avós, meus tios… E meu pai…

Deu ni mim!

***

E depois de achar que eu tava meio cínica, meio fria, sentindo tudo muito longe de mim, hoje eu li uma coisa que me chacoalhou. Botou meu pezinho no chão. Me deu saudade de quando eu era pequena e a madrinha do meu irmão, tia Lulinha, fazia nossas caminhas, lá em Ipirá, nas férias, e jogava uma solução perfumada fresquíssima de alecrim.

Me deu saudade de quando eu via Hilda e Dadaia na cozinha. E sentia aqueles cheiros promissores…

Me deu saudade da Praça do Oiti, em Salvador. Me deu saudade da comida da casa das freiras do Colégio Rosário. Me deu saudade da Dadá, da D. Conceição Diniz… de coisas que só existiam quando eu era criança.

Leiam aqui: No Avental da Fal.

Lonely Rainbow Queen

Eu acabei de descobrir esse ilustrador.

O nome dele é Emmanuel Malin.

…E eu tou a-pai-xo-na-da!

***

Não vai parar de chover nunca mais, Vera?

***

Trabalho, café e um belo tablete Cacau Show Orgânico, com 52% de sólidos de cacau… nada mau.

***

Comi lasagna de bacalhau, feita pela vovó. Dilícia!!

Mas tou meio enjoada de bacalhau. Toda semana santa da minha vida teve bacalhau. E lá se vão 36, rumando pra 37. Num quero mais, não.

Tou pensando em “inventar moda”.

Se vc tiver uma coisa bem diferente, vc me manda?

email para: bela.caleidoscopica@gmail.com.

Meu espírito e meu estômago agradecem antecipadamente.

***

Eu recebi por twitter a dica do Mylifetime.com

Mas o que me pegou mesmo foi  “The Break Up Diaries”.

Adolei!

***

Tou me coçando pro dois motivos:

Leite Derramado &

Palavra (En)cantada.

***

Pronto. Acabô-se a brincadeira!

Pode voltar!

Minha saudade já tá incomodando demais!

Happy-go-Lucky ou Poppy, o saquinho de risada

Bela falando de cabelos vermelhos

(eu, de cabelos vermêioooos,
com uma cara de cansadaaaaa)

“Tabáia, tabáia, tabáia, nêga”, né?

Quero pedir altas.

 

###

 

Mas, no meu domingo chuvarento e sem filhos e/ou marido, fui ver Happy-go-Lucky, de Mike Leigh (Simplesmente, Feliz! – hahaha o paraíso tropical dos tradutores é aqui!).

Vai rolar spoiler. Não leia se ainda vai ver, embora eu não recomende muito…  espera sair no DVD que é melhor. Sério.

Poppy fez trint’anos. Essa moça Poppy é uma otimista, sorridente, fluffy, naive, que passa o filme todo rindo. Um riso meio abestado, devo dizer. E silêncio é um negócio que num rola na vida da moça, nem sob pena de degola. Eu tava pra dizer: shut the f**k up! E a voz? A voz de onze aninhos…

Até o par romântico (que a gente ora que venha logo e tome uma atitude pra tirar a moça da sessão infanto-juvenil e ela pare de falar como uma bebê que mia – anfam sabemos dos poderes sobrenaturais de uma boa, digamos educadamente, ‘sacudida’), quando chega tem olhos de criança, tamanho de gorila e um queixo, meu bem, que é a expressão máxima de teratológico. E bobo. Mas bobo de dar dó, pobrezinho.

Eu de-tes-tei as roupas de louca dela. Das meias eu tive espasmos no cinema…Não gostei nadinha. Até a música-tema beira o circense.

E ela ainda acha que tem que passar perengue (sempre com aquele sorriso e o bom humor inseparáveis e… histeriquinhos)?! Yo, despues de los trenta, não acho que eu tenho que passar coisa nenhuma de perrengue! A bicha doida corre atrás das encrencas, sabe? Deus que me livre. Pra mim, só do que eu não puder me esquivar, sim. Grata.

Precisa ver o tal do Scott, que é o instrutor de auto-escola dela… sabe quem é que faz o cabra? Aquele que fez  A Vida Secreta das Palavras, o Eddie Marsan (tenho que googlar pra saber os nomes. Não decoro nunca!), com aquele olho de doido, que me faz ficar esperando O piti, a qualquer momento. Ele faz um desequilibradão, stalker. Tá perfeito ele. Chega me deu nos neuvo.

Na verdade, se é pra levar como uma caricatura, va lá… mas sem roteiro, beibe?

O que valeu foi a companhia mais que agradável, o sorvete de tapioca, o espressinho e os biscotinhos de castanha do Pará.

Merci, amorecas!

Ave, Saborella!

 

ps: Família Kzam, quedê o site?
ps2: quérido, lembrei de vc a cada brickzinho.
… e a cada Pub! ;o)

 

###

 

Fiz a farra do boi na livraria Cultura!

Tou tão feliiiiz!

A A-na Pau-la lá, lá la lá lá lá lá…

Finalmente ela reconheceu o habitat.  A demora não se deu por falta de torcida, apoio, recomendação, pedido em três vias carimbado e autenticado…nada disso. Ela tava maturando a idéia. Coisa de quem sabe onde quer ir, de que jeito quer entrar.

 Maturidade, queridos, é o nome disso. Coisa que me falta em abundância, aliás. Já que nun-ca-na-vi-da eu esperei uma semana que fosse pra me mudar daqui pra lá, pra enterrar um blog e começar outro, enfim. Eu vou indo.

E a diferença é bem essa: “Ela vem chegando (ela vem chegando)
E feliz vou esperando (e feliz vou esperando)
(eu sei que)A espera é difícil (a espera é difícil)
Mas eu espero sonhando (mas eu espero sonhando)

Pois uma flor é uma rosa
Uma rosa é uma flor
É um amor esta menina
Esta menina é meu amor

Ela vem chegando (ela vem chegando)
E feliz vou esperando (e feliz vou esperando)
(eu sei que)A espera é difícil (a espera é difícil)
Mas eu espero sonhando (mas eu espero sonhando)

Pois menina bonita é um céu azul
É um colírio, é um mar de rosa
É olímpica sua beleza
Ela é alegria na minha tristeza

(Zazueira – de Jorge Benjor)

 

 

Não percam nenhum dia do URBANAMENTE.NET

Eu não vou perder.

 

***

 

Crise generalizada hoje… Crendeuspai, viu?

Tou exausta. Nego podia ao menos combinar: ‘Hoje eu surto. Amanhã você. Depois de amanhã a sua amiga lá de num sei donde’. Mas que nada! Hoje foi em todas as esferas.

Deve ter algum alinhamento de planetas, uma coisa meio Nostradamus…não?

 

***

 

Marido vai viajar.

E eu, bocó de dar dó, 13 anos depois, ainda tenho saudade antecipada…

Donde se conlui que bestagem é coisa que não tem limite!

 

Nem cura, por supuesto.