Arquivo da categoria: Comes & Comes

Escoffianas Brasileiras – O presente

O livro do Chef Ruivão
O livro do Chef Ruivão

Eu tava namorando o livro Dele, há muito tempo. E tava sofrendo um tiquinho, confesso, porque aqui em Brasília não achei por menos de 180 pilas. E livraria é aquele antro, onde você vai com um intuito e sai de lá com outros 15 bem embrulhadinhos pra auto-presente, que não te passavam pela cabeça.

Toda vez que eu ia comprar, encontrava outras coisas pelo caminho e terminava fazendo a fatídica conta:

1 Escoffianas = 1 Virgínia Woolf + 1 Chico + 1 Herman Melville + 1 Galeano + 1 Suzi Lee

Foi assim que eu sai de lá da última vez – com um arrependimentozinho amargo na língua, sim sim -, mas bem felizinha e cheia de boas coisas pra ler.

E toda vez que via, na TV, no jornal, na revista, na vitrine: “- aaaah, esse livro do Ruivão…”

Olha, eu tive um ataque de felicidade e beijos, direcionado ao marido e aos filhos, obviamente! E me atraquei com o livrão do Ruivão e devorei 180 páginas no mesmo dia! E não digo que não deveria ter lido o Livro dos Abraços, do Galeano, ou os Contos Completos da Virgínia Woolf, mas quase me bati por não ter lido antes o Escoffianas.

É brilhante, bem humorado, sério, profundo. Tem uma diagramação rara de se ver em livros nacionais. As receitas e fotos fogem do comum e me deixam ainda mais encantada por essa arte. Escoffianas Brasileiras caminha pra se tornar (eu ainda não terminei de ler) um livro de referência, um manual de consulta obrigatório, um livro de formação e de inspiração.

Além de tudo isso, além de encontrar nele um eco pra minha paixão pela nossa cozinha brazuca, ele fez um livro de receita que fica encaixado no final, na contra-capa, numa caixinha com fitinha de seda, parecendo um tesourinho, pra facilitar o manuseio na cozinha…coisa de quem entende do riscado, né, meu bem?

Então taí a dica: Compre, leia, corra pro D.O.M, pro Dalva e Dito… faça alguma coisa, mas não perca mais nada que esse moço faz.  Não é pra me gabar (até pq num tenho do que), mas eu já dizia, há anos, que esse tal de Alex Atala era o melhor chef do Brasil. Cê não sabia?

Não sabe o que tá perdendo!

***

Paineira
Paineira

Isso é uma Paineira. Digam “Muito Prazer!”.

Elas estão assim pela cidade, o que significa que em breve teremos um show de neve do cerrado pelas ruas.

Eu acho lindo. Paro pra olhar… toda vez… nessa eterna mania de me encantar pelos pequenos milagres.

Anúncios

Belícias

Finalmente, anotem ai, manas, a receita da torta da foto.

(Linoca, se vc quiser a receita do bacalhau, eu te mando por email.)

Torta trufada de chocolate e frutas vermelhas

Massa
1 pacote de biscoito triturado no processador(maria ou maisena DE BOA QUALIDADE!!)
2 colheres de sopa (bem generosas) de cacau em pó
100 gr de manteiga gelada

Coloque todos os ingredientes numa tigela e amasse com a ponta
dos dedos até virar uma farofa úmida(quando vc colocar na mão, apertar e formar um bolinho é pq vc achou o ponto!).
Aplique numa fôrma de fundo removível e leve ao forno médio (180ºC) por 12
minutos.

Mousse Trufada
3 claras de ovos
1/2 xícara de chá de açucar refinado
2 colheres de sopa rasas de gelatina de frutas vermelhas(hidrate com 3 colheres de sopa de água quente)
180 gr de chocolate ao leite
180 gr de chocolate amargo picado
01 dose de cherry brandy
1 lata de creme de leite sem soro

Bata as claras em neve com o açucar, até ficar no ponto de suspiro.
Derreta os dois chocolates em banho maria, tire do fogo e acrescente a gelatina, o creme de leite e o cherry ( nesta ordem, porque se vc colocar o cherry antes da gelatina e do creme de leite, amigan…babau, danou-se o ponto do chocolate!).

Lave uma caixa de framboesa, uma de amora e uma de blueberry (pode fazer só com morango ou só com uma das frutinhas do bosque que tb fica muito bom). Seque, mas seque de verdade, porque água nessa receita é suicídio. Amolece o creme, nunca mais dá o ponto, e é aquele Deus nos acuda. Portanto, seque cada uma das frutinhas, se vc não tiver tido tempo de lavá-las e deixá-las secar naturalmente ( que é o que eu faço, pq eu moro praticamente no Deserto).

Ai é o seguinte: misture metade das frutas com todo o creme da mousse trufada e reserve a outra metade pra cobrir a torta – e ela ficar com aquela cara da foto. Bote sobre a massinha de biscoito e leve à geladeira por, no mínimo, 4 horas.

Na hora de servir, se vc quiser dar uma cara de “Tá nevando aqui nos Alpes”, povilhe açucar de confeiteiro por cima.

Agora, se vc for servir isso pra muita gente, prepare-se para ser importunada a cada mísera reunião da galera, para o resto da sua vida.

***

chagall_promenade
Promenade, 1917 - Chagall

Virada Russa

Data: de 7 de abril a 7 de junho de 2009

Horário: de terça a domingo, das 9h às 21h

O  CCBB de Brasília montou a exposição Virada Russa, que mostra a produção artística na Rússia, desde o começo do século XX até a década de 1930. O conjunto de obras selecionadas inclui a produção de importantes artistas do período, como Kandinsky, Maliévitch, Chagall, Rodchenko, Tátlin, Goncharova, entre outros.
Ao todo são 123 obras, todas pertencentes ao acervo do Museu Estatal de São Petersburgo.

Bora?

Confort Food do feriado ou o mingau do Vovô Sylvio

Mingau de Aveia com Cravo e Canela
Mingau de Aveia com Cravo e Canela

Acordei assim…Nigella.

Rebordosa da noitada, cansaço, ressaquinha? Fome sem vontade de mastigar? Sonhando com uma coisa quentinha, carinhosa e deliciosa?

Seus problemas se acabaram-se!

Pegue uma xícara bem cheia de leite desanatado. Bote numa panelinha de ágata com a quantidade de açucar que vc gostar (eu gosto de bem docinho), dois cravinhos e umas três colheres de sopa de aveia, não muito cheias. Ligue o fogo e mexa sem parar até engrossar.

Requinte de crueldade: uma colherinha de chá de manteiga…

Escolha o seu potinho. Eu adoro bowls de cerâmica, superxícaras…

Derrame seu mingauzinho, bote uma pitadinha generosa de canela por cima.

Colher de sopa em punho, TV ligada, meinha no pé, filhos em volta…

e pode suspirar a cada colherada que eu acompanho.

***

Meu amigo querido volta de São Paulo amanhã pra comemorar com a gente a vitória do transplante!

Menu (além de amor, muita felicidade e gratidão):

Bacalhau do Bernardo (depois que ele fizer na minha frente eu passo a receita)

Minha parte é uma torta de chocolate trufado com frutas vermelhas, numa basesinha “trocante”(como diz meu caçula) de biscoitinho. Modelo “Oh my God!” Total!

Prometo a foto e a receita después.

Beijos & inté, que tem um bando de meninos me atazanando o juízo, neste momento.