Arquivo da tag: aniversário

Tompete e Laerte



Caio pediu pra comemorar o aniversário (03/01) no fim do ano, com os amiguinhos do colégio. Mas quer uma roupa de Elvis e toooda a trilha sonora idem.
Foi assim…

Tava tudo tudo sendo decidido – até que chegamos à trilha sonora do “evento”.
A moça da casa de festa, bem simpática e atenciosa, deu mil sugestões.
E eu lá concordando com umas, reclamando de outras, quando se dá o seguinte diálogo :

Caio: Mãe, eu quero só as músicas do Elvis.
Eu : – Que Elvis, amor? Elvis Presley?
Caio:É, mãe. Aquele com o ‘tompete’ que nem uma onda do Hawai! E quero a roupa dele também, com aqueles “negócios brilhantes”.
Eu (pas-sa-daaaa):Filho, quem te mostrou o Elvis?
Caio:Eu fiz uma pesquisa no Youtube! Eu adoro ele. Só quero música dele no meu aniversário, de mais ninguém.

Tá bom procê?

***

O Laerte tem um blog! Uiaaaa:

Eu sinto saudade da Rê Bordosa e dos Escrotinhos…

Anúncios

Fim de semana bãozin mês’!

Ontem, apesar de ter ficado de motorista e rodado, por baixo, uns 100 e tantos km, levando e buscando filhos, eu gostei do dia.

Foi aniversário do Antônio, filho de Dedéia e Paulino, meus amigos queridos. Caio e Antônio são amigos desde sempre, desde a barriga, desde a amamentação, desde a dupla baby blue: eu e Dedéia.

Eles passaram o dia na piscina, correndo, pulando, brincando de carros de colecionador, de pegar, comeram até se fartarem, cantaram parabéns e nos despedimos.

Na saída, Caio vira pro Antônio e diz, bem baixinho:

– Se eu tivesse que fazer uma lista de amigo, você era o primeiro de todos!

Corta pras duas mães ba-bo-nas.

Olha, a gente nunca sabe o que é que vai ser, não é mesmo? Mas essas pequenas esperanças são absolutamente maravilhosas!

+++

Hoje fomos comer num restaurante Paraibano, o Mangai. Bonito, mas en-tu-pi-do de gente. Delicioso. Mas grande demais da conta. Ficou uma sensação estranhíssima. Não sei definir. Não sei se eu volto.

O melhor do dia foi ter pego minha passagem para Sunpaulo!

Meninas, plástico bolha, hein?

+++

Pra começarmos bem a semana, taí um poema da minha ídola herdada, Adélia Prado.
É… A coisa lá em casa é hereditária, beibe.
…essa foi Martha que mandou pra Mani e ficou impossível não postar.
Três mulheres maravilhosas. E que moram no meu coração.
Quatro com minha mãe, no pódio, que me deu Adélia de presente.

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta,
anunciou: vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza
e ora sim, ora não,
creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo.
Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável.
Eu sou.

Adélia Prado

EXTRA EXTRA EXTRA! – Jerico faz aniversário!

(Foto de Luiz Cochofe)

Olhe de perto.

Atente para a genialidade deste exemplar.

Suporta altas cargas, produz muito. Mas é muito sensível. Normalmente, reclama pouco enquanto trabalha e pode começar a relinchar de uma hora para outra, sem a menor explicação, distribiundo coices nas mais diferentes direções. No entanto, não tem intenção de ferir. Nunca. Mesmo quando muito contrariado. Mesmo quando exausto.

Como ele não tem outro. Jerico falante, poeta, criativo, justo, aglutinador. Um pouco aborrecido, mas nunca desleal. É inconformado, nunca tá satisfeito (e quem está?). Exigente, ciente do que cada um pode oferecer e principalmente de si. Dá sem medida, espera sempre o melhor, com a consciência de tudo que pode dar de ruim, mas é um otimista nato. Um idealista – uma raridade nos dia de hoje.

Além de tudo, é, pra mim, um exemplo de superação, coragem, de determinação, teimosia boa e fé. Sempre e muita. E de talento, até demais!

Não precisa de muito. Bastam um cafuné, uma xícara de café, uma trilha de terra batida, um pouco de mato, um bom livro, alguns poucos e leais amigos – sempre com trilha sonora -, o sorriso de Lá e Má e um cantinho gostoso pra ele se deitar, pra você ver ali um Jerico Feliz & Inspirado.

Meu querido,

que Deus te abençõe sem medida e te conserve assim, desse jeitin’!

Parabéns! Parabéns! Parabéns! Parabéns! Parabéns! Parabéns! Parabéns! Parabéns!

Falzuca, Falfura, Fauô

HAPPY BIRTHDAY TOOOOO YOUUUUUUUUUUUUU!

HAPPY BIRTHDAY TOOOOO YOUUUUUUUUUUUUU!

HAPPY BIRTHDAY, DEAREST DARLING!

HAPPY BIRTHDAY TOOOOO YOUUUUUUUUUUUUU!

(Patsy, Fal(êêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêê!) e Maloca, minha cunhada, no café da manhã mais delícia e badalado do ano!)

Suíri,
todo o meu carinho e os meus melhores desejos de que volte pra você todo esse amor distribuído sem medida!

Fada madrinha, que juntou esse bando de gente linda e louca, em torno de um sentimento.

Coisa mais doce desse mundo!

Merci merci merci!

Liamo oh sooo fucking much