Arquivo da tag: casa vazia

Patchwork Bocó

O Observatório da Imprensa registrou a simulação de uma eleição mundial
entre Obama e McCain.
Interessante saber que os eleitores votaram maciçamente no Obama.
Amém.

Aliás, olha bem pro material de campanha do rapaz.

Pop-art , Fifties! O mácsimo!

Muito bom gosto, hein?

***

Num pode ser verdade que a Nayara (a companheira de cativeiro da Eloá), ao ser perguntada sobre o seu maior desejo tenha dito que queria receber uma visita do PATO!

É isso mesmo?

Na minha terra isso é falta de surra.

***

“Vamos ao que realmente conta: em que medida a crise atual afeta as relações de poder no mundo atual?”

Excelente artigo do Profº Emir Sader!

Num deixe de ler.

***

Assisti Law & Order onti, depois de longo e tenebroso inverno.

Pensei na falmigas que amam. Eu costumo amar tb. Mas onti… achei uma me-le-ca.

***

Eu quero um balanço na minha sala!

***

Eu tou enjoadinha de ar condicionado…
eu num guento mais o calor…
eu peço chuva todosantodia.

***

Eu tomei uma puxada de tapete de uns amigos… que ó, minha cara caiu.
Sério mesmo. Tô chokita!
Never ever… not even in my worst dreams…
Fiquei frapê…

Vou pra casa, ficar de olho parado…

Anúncios

I’m oh sooo lonely ou ai que drama, meu bem!

Ontem foi o meu primeiro dia de solidão do ano. Incrível, né?
Casa vazia, um silêncio, uma quietude, um certo incômodo.
Ai eu descubro que a agitação é minha, não tem outro dono aqui.
…desorganiza a minha rotina, na verdade, isso de não ter ninguém em casa.
Em certos momentos a sensação era de estar numa igreja vazia, sabe?
Até no telefone eu falava baixo, com medo de fazer um eco monstruoso.
O som nítido da rua me fez companhia na madrugada… uns filmes, uns livros e a quietude.
O resto da casa escura fica um pouco assustadora e parece que eu tenho 5 anos de novo, com medo de atravessar o corredor sem luz pra ir beber água. Medo besta, sô!
E eu fui fazer o quê, na minha insônia solitária?
Escrever, uai! Pra dar som aos pensamentos, fazer barulho, nem que seja com a caneta deslizando macia no papel.
Há muito muito tempo eu não temia o silêncio.
***
Amores, eu vou ali, repor minha falta de iodo que altera perigosamente o meu humor e tomar uma overdose de dendê, pra me salvar da falta de jogo de cintura.
Volto em breve…nem tão breve assim, graças a Deus! Janeiro, lá pro fim.
Fiquem ótemos!
E que 2008 seja O nosso ano!
Delicioso, desafiador, cheio de sucesso, com saúde e harmonia sobrando & sorrisos idem!
Beeeeijos