Arquivo da tag: filme

Happy-go-Lucky ou Poppy, o saquinho de risada

Bela falando de cabelos vermelhos

(eu, de cabelos vermêioooos,
com uma cara de cansadaaaaa)

“Tabáia, tabáia, tabáia, nêga”, né?

Quero pedir altas.

 

###

 

Mas, no meu domingo chuvarento e sem filhos e/ou marido, fui ver Happy-go-Lucky, de Mike Leigh (Simplesmente, Feliz! – hahaha o paraíso tropical dos tradutores é aqui!).

Vai rolar spoiler. Não leia se ainda vai ver, embora eu não recomende muito…  espera sair no DVD que é melhor. Sério.

Poppy fez trint’anos. Essa moça Poppy é uma otimista, sorridente, fluffy, naive, que passa o filme todo rindo. Um riso meio abestado, devo dizer. E silêncio é um negócio que num rola na vida da moça, nem sob pena de degola. Eu tava pra dizer: shut the f**k up! E a voz? A voz de onze aninhos…

Até o par romântico (que a gente ora que venha logo e tome uma atitude pra tirar a moça da sessão infanto-juvenil e ela pare de falar como uma bebê que mia – anfam sabemos dos poderes sobrenaturais de uma boa, digamos educadamente, ‘sacudida’), quando chega tem olhos de criança, tamanho de gorila e um queixo, meu bem, que é a expressão máxima de teratológico. E bobo. Mas bobo de dar dó, pobrezinho.

Eu de-tes-tei as roupas de louca dela. Das meias eu tive espasmos no cinema…Não gostei nadinha. Até a música-tema beira o circense.

E ela ainda acha que tem que passar perengue (sempre com aquele sorriso e o bom humor inseparáveis e… histeriquinhos)?! Yo, despues de los trenta, não acho que eu tenho que passar coisa nenhuma de perrengue! A bicha doida corre atrás das encrencas, sabe? Deus que me livre. Pra mim, só do que eu não puder me esquivar, sim. Grata.

Precisa ver o tal do Scott, que é o instrutor de auto-escola dela… sabe quem é que faz o cabra? Aquele que fez  A Vida Secreta das Palavras, o Eddie Marsan (tenho que googlar pra saber os nomes. Não decoro nunca!), com aquele olho de doido, que me faz ficar esperando O piti, a qualquer momento. Ele faz um desequilibradão, stalker. Tá perfeito ele. Chega me deu nos neuvo.

Na verdade, se é pra levar como uma caricatura, va lá… mas sem roteiro, beibe?

O que valeu foi a companhia mais que agradável, o sorvete de tapioca, o espressinho e os biscotinhos de castanha do Pará.

Merci, amorecas!

Ave, Saborella!

 

ps: Família Kzam, quedê o site?
ps2: quérido, lembrei de vc a cada brickzinho.
… e a cada Pub! ;o)

 

###

 

Fiz a farra do boi na livraria Cultura!

Tou tão feliiiiz!

Anúncios

Bardem… ou Vicky Cristina Barcelona

Atrasadona, eu sei. Assisti ontem Vicky Cristina Barcelona, do Woody Allen.
Além dos atores magníficos – Scarlett Johansson, Rebeca Hall, Penélope Cruz, Patricia Clarkson, Chris Messina e o avemariaseelemeolhadessejeito Javier Barden -, o enredo é aquela coisa Woodynesca de sempre: relações que não dão certo, conflitos, amor/desamor/amordemais, o que é aceito e o que não é, mas deveria…bem Woody.
Mas é uma delícia de se ver. Diálogos ótimos, atores que se entendem, se puxam e se completam, locações inacreditáveis (a Espanha é um deslumbramento, né? Combinemos…) trilha sonora de-cho-rar! E ele, né?
Javier, meu noivo, lindo, inteligente, sensível, e oooooh sooooo latin lover!

Se em Mar Adentro eu já passei mal e ele nem andava…imagine nesse que ele parte pro ataque?

Bítufo! … Ou as delícias de ter um filho adolescente

Meu irmão Pedro hoje mora comigo. Meu sobrinho Davi, de 3 aninhos, dorme aqui com ele de 5ª a domingo – semana sim, semana não. E todos os produtinhos infantis que já haviam deixado de existir nessa casa, voltaram a ocupar a bancada do banheiro, o box do chuveiro, mamadeiras na cozinha, copinhos com biquinhos, mini roupinhas nos varais… E eu acho uma delícia!

Vai daí que meu filho mais velho, Victor (15 anos)de repente me diz hoje:

“My mom is bítufo”!

E eu, enternecida pela raridade e espontaneidade do elogio, muito doce e sorridente, emocionadinha da silva, respondo:

Obrigada, meu amor! Mas é “bíutiful” que se diz.

E ele com a maior cara de canalha do mundo me aponta isso e cai na gargalhada:

…eu me-re-ço!

***
35ºC

+

13% de “humildade relativa”*
_____________________
Indolência da pleura!

***

Assisti NOEL, poeta da Vila. Delícioso! E é emocionante ver tanta gente boa junta: ele, Cartola, Ismael Silva, Francisco Alves, Wilson Simonal, Aracy de Almeida…
O ator que faz o Noel (Rafael Raposo) é inacreditável!
E ainda tem Tia Surica, Henrique Cazes, Zé da Velha e Silvério Pontes e taaantos outros craques da nossa música.
A melhor cena do filme é dele cantando “Último Desejo” pra Ceci- Camila Pitanga, aquela moça que além de tudo é feinha, sã?
Vá ver!

***

*update: acabaram de me dizer que no Saara dá 12%. Tamos beeeem!

Tatu do Bem*

* melhor adesivo de carro dos últimos tempos. Com a Imagem do tatu, craro!

Questões ardentes me impedem de vir aqui, quéridos. Latentes, urgentes e flamejantes. Mezzo inferno, mezzo fogueira das vaidades, por supesto. Nada de muito interessante, a não ser pra mim, nesse meu mundinho de coisas agitadamente mal colocadas, pessimamente e injustíssimamente mal distribuídas.

Outro dia um amigo disse assim: “você continua nessa sua missão diária de embalar atritos e ninar desastres?” E eu rodando outro pensamento na plataforma anexa: é…e mais que tudo e principalmente me esquivando da loucura…porque é só isso mesmo. Não tem como escapar em definitivo. Corre prum lado, esconde atrás da pilastra e deixa-A, A louca, passar correndo. Pra depois ela retomar o prumo e voltar com tudo. O que só me dará o tempo exato de dar meia abaixadinha, com uma virada de quadril pro ladinho… e deixar La Lôca passar de novo, raspando, tirando tinta… A tentativa é só essa: Escapar.

***

Saudade morninha de ter sossego.

***

“Menino, é bom ficar de olho ai
Que tudo é desse mundo
Surpresa também
Espinho é bem mais fundo
Destino também
O amor tá quase mudo
Minha voz também
Cruel é isso tudo”

(CRUEL – Luiz Melodia e Escola de Música da Rocinha)

***

Vi Beijo Roubado, the movie, de Wong Kar Wai, com o deslumbramento do Jude Law e a foufa da Norah Jones.
Fias,
vejem bem, traz a mais nova cena inesquecível de beijo de filme da história de Ruliúdi!
Tem os zói dele, o cabelo dele, a boca dele, as mãos dele e a voz dela. É um filme que te faz orar por uma nova tecnologia com aroma, sacumé?
Ah, porque eu dava tudinho pra sentir o cheiro daquele lugar, daquele cigarro, daquele cangote!
Tipo assim: pra ver sem desgrudar. Não, não dá vontade nem de comer pipoca.
Talvez um chocolatinho no final. Ou uma Blueberry Pie com uma bola de sorvete… (suspiros)

***

Eu tenho siricotico azul quando não lembro de uma coisa. E o Seu Jaime não me permite lembrar onde txongas foi que eu vi o Heath Ledger declamando Cummings. E essa meleca de YouTuba não me respeita, né mesmo?
Mas é de desmaiar. Assunte pelaê.
E me mande se achar, okey dokey?

***

Beibe, que horas são?
23h.

Onde ocê ta?
Me bôi a mi casita.

E ta fazendo o quê, uai?
Nadica.

E ce sabe que dia é hoje?
Um-hum… é Sexta.

E a amizade animadora do outro lado da linha responde: “NÚ!”

…Tu … tu … tu… tu ….

***

Caio: Mãe, cadê O passeio de Catxoro?
Eu: Cadê o quê, menino??
Belinha gaguejando de tanto rir: Tia, é “A Viagem de Chihiro”!

Amigos lindos e maravilhosos

Arthur Thadeu Curado, meu querido,
vem chegando com duas estréias,
ambas no Teatro Goldoni.

(acima, Complexo de Cinderela, com Andrea Alfaia – a lôra – no elenco!)
&
(Abaixo, Existe Alguma Coisa Entre Nós, com ele e Patrícia Marjorie)

E ainda tem o tão esperado lançamento do seu livro “Dois de Paus”.
***

Sites do portfólio do meu querido PAULIN!
Confiram os outros em: http://www.beetles.com.br/web/

Spa da querida Dani, em Alto Paraíso
– Chapada dos Veadeiros/Goiás –

***

Email de convocação do meu querido Uver san:

Tenho uma sugestão de passeio bem interessante que podemos fazer juntos neste ou no próximo final de semana. Alguém já reparou essas árvores cheias de florzinhas vermelhas e/ou laranja que estão por todo lado?
Pois é … parece que esse ano os Flamboyants estão bombando mais do que nunca!!!

Que tal a gente fazer um passeio dominical juntos (estilo tranqilão) para admirar esse espetáculo?
Para traçarmos um roteiro eficiente (mínimo de gasto de carbono e impacto ambiental) precisamos que todos interessados em participar enviem para o grupo a localidade da árvore em questão. Juntos podemos traçar um roteiro bem divertido!!!

Ao escolherem seu flamboyant levem em consideração, dentre outros, os seguintes quesitos:
– intensidade cromática;
– frondosidade (use sua imaginação para entender essa distorção linguística do adjetivo “frondoso” … achei que “copa” soa futebolístico demais)
– impacto emocional;
– e outros que forem acrescentados!!!!

Enviem também sugestões para a forma mais ecologicamente eficiente de conduzirmos o passeio + data; horário; cardápio; bebidas e outros.

VIVA OS FLAMBOYANTS!!! NOSSA CIDADE E NOSSO PLANETA!!!

(uau … acordei ecologicamente inspirado hj!)

***

E a minha querida Vanessinha,
com o seu Kléber e o amigo Renato, da TMTA,
estão na produção desse incrível festival de curtas :

…Eita povo que me dá orgulho, sô!