Arquivo da tag: fogueiras

Tatu do Bem*

* melhor adesivo de carro dos últimos tempos. Com a Imagem do tatu, craro!

Questões ardentes me impedem de vir aqui, quéridos. Latentes, urgentes e flamejantes. Mezzo inferno, mezzo fogueira das vaidades, por supesto. Nada de muito interessante, a não ser pra mim, nesse meu mundinho de coisas agitadamente mal colocadas, pessimamente e injustíssimamente mal distribuídas.

Outro dia um amigo disse assim: “você continua nessa sua missão diária de embalar atritos e ninar desastres?” E eu rodando outro pensamento na plataforma anexa: é…e mais que tudo e principalmente me esquivando da loucura…porque é só isso mesmo. Não tem como escapar em definitivo. Corre prum lado, esconde atrás da pilastra e deixa-A, A louca, passar correndo. Pra depois ela retomar o prumo e voltar com tudo. O que só me dará o tempo exato de dar meia abaixadinha, com uma virada de quadril pro ladinho… e deixar La Lôca passar de novo, raspando, tirando tinta… A tentativa é só essa: Escapar.

***

Saudade morninha de ter sossego.

***

“Menino, é bom ficar de olho ai
Que tudo é desse mundo
Surpresa também
Espinho é bem mais fundo
Destino também
O amor tá quase mudo
Minha voz também
Cruel é isso tudo”

(CRUEL – Luiz Melodia e Escola de Música da Rocinha)

***

Vi Beijo Roubado, the movie, de Wong Kar Wai, com o deslumbramento do Jude Law e a foufa da Norah Jones.
Fias,
vejem bem, traz a mais nova cena inesquecível de beijo de filme da história de Ruliúdi!
Tem os zói dele, o cabelo dele, a boca dele, as mãos dele e a voz dela. É um filme que te faz orar por uma nova tecnologia com aroma, sacumé?
Ah, porque eu dava tudinho pra sentir o cheiro daquele lugar, daquele cigarro, daquele cangote!
Tipo assim: pra ver sem desgrudar. Não, não dá vontade nem de comer pipoca.
Talvez um chocolatinho no final. Ou uma Blueberry Pie com uma bola de sorvete… (suspiros)

***

Eu tenho siricotico azul quando não lembro de uma coisa. E o Seu Jaime não me permite lembrar onde txongas foi que eu vi o Heath Ledger declamando Cummings. E essa meleca de YouTuba não me respeita, né mesmo?
Mas é de desmaiar. Assunte pelaê.
E me mande se achar, okey dokey?

***

Beibe, que horas são?
23h.

Onde ocê ta?
Me bôi a mi casita.

E ta fazendo o quê, uai?
Nadica.

E ce sabe que dia é hoje?
Um-hum… é Sexta.

E a amizade animadora do outro lado da linha responde: “NÚ!”

…Tu … tu … tu… tu ….

***

Caio: Mãe, cadê O passeio de Catxoro?
Eu: Cadê o quê, menino??
Belinha gaguejando de tanto rir: Tia, é “A Viagem de Chihiro”!

Anúncios