Arquivo da tag: Uncategorized

Bela News Edição da Manhã

Linoca e Isa em terras tupiniquins! Uhuuuu!

Ontem a apresentação da nossa plataforma multimídia foi SÓ SUCESSOOOOO!!! Foi demais!

Ai eu tive uma ziquizira de deprê no fim do dia, mas a Falzuca veio falar comigo e me ajudou num insight (êita palavrinha pôdi) …ces entenderam…
Ai eu liguei pros meus amigos mais molóides e saí pra jantar com os meus queridos + mais marido amado. E tomei Dry martini e fiquei balão e ri a “bandeiras despregadas”.

E acordei cedinho, tomei um banho redentor, levei filhos pro colégio nesse dia imaculadamente azuuuuuuuuuuul!

E comi um monte de caqui! E vim trabalhar filiz filiz!

Vamos pra o alto e avante, amém!

Mais um Meme da série "Não existe pecado do lado de baixo do Equador"

… ou manda quem pode, obedece quem tem juízo.

A minha irmã, Signora Inzaghi, me pediu pra contar 6 coisas secretas (ou nem tanto) sobre a minha vida.

1- Eu só gosto de acordar com o despertador ou beijinhos (hehehe). Se vc disser: “Gabriela, acorda!”, capaz do meu dia começar acabado!

2- Eu tenho frouxos de riso e choro com muita facilidade, na vida real e na ficção.

3- Eu sou capaz de manter intacto um sentimento por muito muito muito tempo. O que mais durou foi bom, tem sido bom, é muito bom. Amém!

4- Eu tive dois partos normais (um deles Natural) e amamentei três crianças.

5- Eu canto muito em casa. Eu canto no banho, eu canto cozinhando, eu sempre ninei meus filhos cantando músicas que não são as comuns de ninar…mas sabendo sempre que não tem nenhum adulto pra ouvir.

6- Eu já passei 1 ano numa cadeira de rodas.

Meme com a 1ª letra do meu nome…


(*Garoa provoca batida e causa 15km de engarrafamento no DF – ho ho ho)

Claudin convidou. Irmã convocou. Amigas tb entraram na dança.
E eu que num sou besta vim obedecer, bem direitinho, em duas versões pra num dar bololô!

Taí ó:

1. Como você se chama? Gabriela – Bela

2. Uma palavra de quatro letras: Gato – Bolo

3. Um nome masculino: Guilherme – Bernardo

4. Um nome feminino: Giuliana – Beatriz

5. Uma profissão: Garçon – Boleira

6. Uma cor: Gris – Bege

7. Algo de vestir: gravata – bota

8. Uma bebida: Guaraná – Bourbon

9. Uma comida: Guariroba – Bala

10. Algo que se ache no banheiro: Gel – Base

11. Uma cidade: Guarajuba – Berlim

12*. Um motivo de atraso: Garoa – Batida

13. Um grito: Garooota!!! – Bocó!!!

14. Uma cantora: Gal – Bebel

Frases

eu amo esses recadinhos estranhinhos com desenhinhos!
Quem mandou não disse de quem era.
Quem souber, apite, s’il vouz plaît.

***

Se você tem um grupo de amigas, você sabe que é humanamente impossível manter uma conversa por meia hora sem que elas apareçam: aquelas frases geniais, engraçadas, que entram pro seu vocabulário e, depois, tome explicar pros demais. É que elas proferem essas coisas como quem diz ‘alô’ ou ‘bom dia’, né?
Tai, uma lista das frases mais legais das minhas capanhêras – só de hoje!

Mas ó, essa vida é ficção e fantasia. Toda e qualquer semelhança com fatos é mera coincidência.

“É melhor dar a Zé do que dar azar.”

“Pega fogo, cabaré!”

“Ele tem aneloma na mão esquerda com metástase (casado com filho)…prognóstico fechado”

O melhor make-up: “acordei e comi uma fruta”

“Bem-vinda ao lado liso da força”

“Tudo depende do elã”

“Respire, coma um chocolate e ria da ilusão alheia”

My lovely inbox Vol. CXXVIII – ou como é bom ter essa criatura por perto…

… ou o poder do afeto virtual na mudança do humor.

Logo de manhã, numa terça que promete, eu recebo isso ó:

“Eu tou fazendo dança de salão!
Ontem foi a segunda aula! Tou dançando com a desenvoltura de uma vassoura com artrite, mas eu chego lá!!! tem bolero, soltinho e samba de gafieira. pense.
o fessor quer que eu libere minha globeleza interior.”

Amoreca, brigada. Essa risada matinal salvou meu dia
***

O Daniboy comprou um brinquedinho que grava uma mensagem de voz e tem um sensor de movimento… ai, né?

Ele gravou: “Olha o avião!”. E pregou o bichin’ na porta da minha sala.

Já tô com a barriga doendo de tanto rir.

Férias, né?

Voltei de Serinhaém pra Salvador, que sempre me acolhe tão bem, com aquela coisa de ter no ar toda uma velha intimidade, um cheiro de coisa conhecida… guardada a sete chaves, na memória e no coração.
Dei uma passadinha de 4 dias em Barra Grande, mas Julinho & Cris chamaram e eu fui. Sabe comé, né? Não resisti. Dai, tou passando os últimos dias em Guarajuba.

Taí a foto. Sai do Sul pro Norte, Estrada do Coco…delícia.
Lá pro dia 20 eu pego a estrada pra casa.
`Té a vorrta, beibes!

E o resto do ano a gente passa cantando : “Oh, Bahia, ai ai, Bahia que não me sai do pensamento… ai ai.”

Jingle Bells & 2009 – meus votos, meus desejos, minhas promessas


(árvore de Natal 2008 – casa da Bela)

Amorecos e Amorecas,

No Natal:
Que seja tudo lindo, colorido, aconchegante, delicioso, perfumado, quentinho e amoroso. Muito cafuné, muito abraço, muito beijo, muita gente amada pra fazer muito “timtim”, muito presente e muita risada.

Em 2009:
Harmonia, saúde, boas perspectivas, garra, humildade, mais saúde. Educação, boas maneiras, gentileza, lealdade, coração quentinho, mais um tanto de saúde. Sucesso, prosperidade, constância, disciplina, paz, carinho, um lindo horizonte, barulhinho de vento, pés quentes, cheiro de café novo e mais umas pitadas de saúde. Muito livro bão, peças de teatro espetaculares, músicas que tremeliquem o coração, muito choro de alívio, prazer, emoção e alegria. Muito riso, muito siso. Belas pessoas. Belos bichos. Belíssimos companheiros de viagem. E Fé no que você quiser.

… acho que é isso aê…
Tamo junto e misturado!
E só vale se for muito bom pra todo mundo!

Amocêis

Até a volta!

A despedida

Essa ai foi a escolinha que acolheu, cuidou e instruiu meu filho caçula por três anos.
Jardim de infância público, modelo do governo, que nos deu uma verdadeira lição de respeito à individualidade, de carinho com disciplina, de como se deve tratar uma criança. No nosso caso, uma pessoinha curiosa, faladeira, perguntona, questionadora e cheeeia de histórias pra contar.

Cada pedacinho da escola era pensado para os meninos, com todo o carinho, e tomando o devido cuidado de não ‘pasteurizar’ os comportamentos e gostos.

Essa turminha ai, como se pode perceber pelas caras de santos, não deu refresco,
nem um diazinho.

A Tia Gê, que quando precisava me puxava as orelhas, me chamava pra esclarecer, descobrir, investigar e auxiliar meu menino em sala, e não descansou enquanto não teve o melhor dele.

Meu filhote se comportou lindamente durante a despedida.
Tai, vestido de Rei Mago – não sem ter se acabdo de rir de um Papai Noel que chegou de moto reclamando do trânsito. E desde quando se divertir não é sinônimo de aprender?

Felipe, o anjo, e Caio, com o terceiro Rei Mago, tiveram três anos pra construir uma relação deliciosa com a escola e com o conhecimento.

Eu, agora, saio meio órfã pra procurar um outro colégio que o receba, respeite e não o deixe desistir de aprender, esmorecer na busca pela sua instrução, que permita que ele seja sempre essa pessoa curiosa e descobridora que ele é.

…tão difícil isso…

Eu só queria mesmo dizer que sou gratíssima ao excelente trabalho que fizeram e sei que continuarão fazendo. E que eu sentirei muitas saudades. Tenho certeza que o Caio também.

Semana do saco cheio. Num é essa, não?

Como chove, não?

***

Bom, afora o nariz que me obriga a falar duas ou três vezes cada frase – enquanto o povo cai na gargalhada -, eu tou bem.
Exagero?
Experimente falar rouca e anasalada, pelo telefone: “compra um sorine pra mim” e depois vem conversar comigo, râni bâni!

***

E eu nunca sei se eu escrevo coco, côco…nunca. Fico com medo de mandar a pessoa tomar água de outra coisa. Mas enfim, sempre mando. Entenda como quiser. Se vc for partidário da Teoria da Conspiração ou antipatizar com a minha pessoa, entenda a parte escatológica da coisa, fique à vontade. Porque eu, sinceramente, não tenho paciência com esse nêgos que se acham o umbigo no mundo. Tenho não.

***

…eu passo a maior parte do tempo trabalhando, me esforçando pra fazer deste um lugarzinho melhor, com pessoas mais felizes, pelo menos as que tão por perto. Eu passo a maior parte do tempo que eu teria pra PRODUZIR, CRIAR, administrando humores (tá, também o meu, porque Deus é testemunha de que eu não sou nada fácil). E eu sei o que me custa esse sorriso, essa vontade de fazer melhor todo dia . Eu sei o que são olhares e intenções contrárias ( sem falar em ações, claro). E eu sei que a frustração disso não funcionar, tantas e tantas vezes, tenta sem descanso me envenenar. Mas eu sou bobinha, finjo que não vejo e saio pulando as ondas gigantes como se fossem ‘corguinhos’. Porque se eu prestar atenção na altura, se eu tirar os olhos do horizonte, eu desisto…

Mais mentes brilhantes armam uma investida contra. Eu fico bes-ta da capacidade de ‘inventar’ teorias. Eu fico mesmo. Eu não acredito em todo o investimento de tempo e energia pra na-da.
Só pra teorizar uma coisa que, simplesmente, não existe. Imagino que se fosse em prol de um bom trabalho, daqui sairiam prêmios em avalanche… Dai tem o imenso trabalho que isso gera pra ser desfeito. As posturas dos bestas que se enrijessem, que deixam de falar, que passam a fazer outras caras. Dois trabalhos, né? Fazer e desfazer. O problema aqui é de contaminação. É quase uma epidemia de imbecilidade. Eu tou pasma.

…acho que eu tou é cansada, sabe?

Chegaaaaaaaaaaaa, 2009!*

*Diz o diabinho no meu ombro esquerdo: “hum hum, como se o nove no lugar do oito fosse resolver, minha filha!”

N.E: No patience, No tags!

Da série: Eu hein? Ou quando as coisas ficam estranhinhas

O Observatório da Imprensa publicou uma denúncia devido ao silêncio da mídia,
diante do acordo bilateral assinado entre BRASIL e VATICANO.

Eu tenho arrepios ancestrais!
A Santa Inquição deve ter me queimado noutra vida. De-tes-to essas conversinhas papais com o estado.
E nem precisamos ir muito pra trás, num é mesmo?
Quem acompanhou o julgamento das células-tronco no Supremo pode fazer um rewind e ter uns engulhos de amostra grátis. É só lembrar da argumentação dos representantes de igrejas/templos/seitas and so on. Blergh! pra dizer o mínimo.

***

O El País publicou um infográfico espetacular sobre a Pirataria na Somália.
Eu fiquei ba-ban-do!
E me lembrei na hora do meu amigo Davi, aficcionado em histórias de Pirata.

***

Meu filho mais velho pediu pra passar a semana na casa do pai. Eu estranho essa necessidade, embora entenda. Eu fico triste, triste… Mas dou a ele o espaço que ele merece ter…Sinceramente, eu não sei as respostas, desconheço as fórmulas prontas, o caminho mais correto. Só entendo que ele, do alto dos seus 15 anos, pode tomar algumas decisões que já não me competem, algumas que me fogem, que eu não abarco. E ele toma. E eu… permito. É o espaço dele. Eu acho…

***

Choveu incansavelmente nessa cidade. Horas de chuva, muitas. E eu sai de casa de botas e guarda-chuva vermelho. Si, si. Rubro. Lindo. Era uma gotinha de tinta no meio de tanto cinza. Meus olhos ficaram felizes de ter um coloridinho pra ver. Um ar geladinho e úmido nessa cidade é artigo raro. O problema é só abandonar marido e edredon de manhã… e ver filhote dormindo quentinho e não me enroscar nele.

***

A NET de alguém em Brasília ficou sem as TVs abertas ontem?
E nos últimos minutinhos da entrevista do Jamie Oliver
no Late Show, na hora de provar a lula que ele preparou… tb saiu do ar?
Digam que sim, ou eu vou pensar em Uruca.

***

Minhas férias estão a um palmo do vão do despenhadeiro.
Oremos, irmãos.

Porque começar 2009 sem um tiquinho de Bahia não dá.